terça-feira, 25 de junho de 2013

POLITICANDO

Ultrapassagem
     Todo movimento social de grandes proporções, quando adquire uma dinâmica própria, tende a ultrapassar suas próprias lideranças e criar fatos novos que rapidamente transformam todo o ambiente político.
     As grandes manifestações da semana passada já deixaram para trás muita gente, a começar pelo movimento Passe Livre, que assustado com a dimensões que os protestos alcançaram, prudentemente declarou que não iam mais convocar nenhuma manifestação, embora tenha participado de audiência com a presidente Dilma, confirmando seu protagonismo.
     A segunda vítima foram os partidos, principalmente os de esquerda, acostumados a liderar protestos e desta vez expulsos pelos manifestantes, justamente por fazerem parte de todos os conchavos políticos que estão na base do descontentamento popular.
     O PT ficou mudo e o PCdoB entrou em clima de histeria, com alguns setores tentando distorcer os fatos e acusando os manifestantes de nazistas e fascistas, porque segundo eles, estariam contra a existência de partidos políticos.
     Que eu saiba ninguém propôs uma democracia sem partidos. O que está ocorrendo é um rechaço aos partidos que estão aí hoje, que não representam mais nada além de seus interesses corporativos.
     Isso não quer dizer que eles não tenham uma história. Comunistas e petistas lideraram muitas campanhas importantes na história recente do país, mas desde que chegaram ao poder se acomodaram e passaram a se corromper, sim o termo é este mesmo, na repartição dos cargos públicos e seus benefícios. A Faxina promovida pela presidente Dilma no início de seu governo foi pródiga em demonstração de que existe gente corrupta dentro desses partidos. Só para exemplificar, vamos lembrar do caso do antigo Ministro dos Esportes, do PCdoB, Orlando Silva, demitido pela presidente Dilma por corrupção, enquanto o PCdoB fazia cara de paisagem.
     Quanto ao PT, o processo do mensalão revelou fartamente as tramóias em que estava envolvido.
     Os partidos de direita, estando ou não na base aliada, tem um longo histórico de corrupção e de fisiologismo, que vai apodrecendo todo o sistema político brasileiro. O PMDB nem se fala.
     Então, querer acusar os manifestantes de fascistas por repudiarem estes partidos que estão aí, beira o ridículo.
     Os sindicatos também foram expulsos das manifestações, porque, a bem da verdade, não tem feito nada a favor dos trabalhadores nos últimos anos.
     Até agora, quem não foi ultrapassada pela dinâmica dos protestos foi a presidente Dilma, que parece ter conseguido agarrar o touro à unha, com a proposta da constituinte exclusiva para a reforma política, e a abertura das discussões sobre as reformas educacional e da saúde.
     Isso retira os debates do campo das especulações e do achismo, encaminhando-as para o foco necessário: as reformas que precisam ser feitas na sociedade brasileira. A tipificação da corrupção como crime hediondo, é uma boa iniciativa, mas ainda é muito pouco. Seria necessário fazer uma devassa no patrimônio público das autoridades de todos os níveis, para detectar o enriquecimento ilícito. Uma espécie de Operação Mãos Limpas, como foi feito na Itália.
     Quanto ao pacto pela mobilidade urbana, creio que é preciso ir mais longe, abrindo o debate sobre uma verdadeira reforma urbana, que acabe com a especulação imobiliária nas nossas cidades, causa do favelamento, das mortes por desmoronamentos e também dos grandes deslocamentos dos trabalhadores, obrigados a morar longe do trabalho pelo alto custo dos imóveis.
     Uma regulação rígida do uso do solo e o controle sobre os lucros das empresas de transporte e das construtoras (maiores financiadoras de campanhas eleitorais nesse país), é imprescindível para melhorar as cidades, democratizar a propriedade imobiliária e acabar com a corrupção.
     De qualquer forma houve um avanço, uma resposta rápida e positiva do governo federal.
     A direita e os interesses corporativos rapidamente se manifestaram contra uma constituinte exclusiva, que tira deles o poder de defender seus privilégios e de barganhar votos em troca de vantagens.
     As propostas da presidente de destinar 100% dos royaltes para a educação e contratar médicos estrangeiros, que contrariam interesses poderosos,  agora tem chance de virarem realidade
     Cabe à população, agora, apronfundar este debate, ultrapassando de vez os interesses privados e corporativos que entravam o progresso social da nação.

PAPO DE ARQUIBANCADA

Salve a seleção!


 
    Meus amigos, fomos ao jogo do Brasil contra a Itália, pela última rodada da primeira fase da Copa das Confederações, na Arena Fonte Nova. Ficamos impressionados com o novo estádio e comemoramos a vitória maiúscula da nossa seleção.
     O novo templo do futebol baiano é simplesmente deslumbrante. A nova Fonte Nova é confortável, tem uma ótima visão do jogo (nos sentamos no último andar) tem dois telões de alta definição, maravilhosos, bons banheiros, boa limpeza, segurança e uma acústica capaz de ensurdecer os adversários com o grito da torcida, ouvir o hino então ?! Sem querer entrar no mérito das manifestações - isso é assunto para a nossa coluna POLITICANDO - foi um grande investimento para a torcida baiana, tão apaixonada por futebol: vale a pena conhecer !
  
    Quanto ao jogo, vimos um Brasil mais maduro e consciente em campo, sobretudo, no sistema defensivo. Alternava sua marcação, ora sobre pressão no campo do adversário, ora congestionando o seu meio campo com o recuo de Neymar, que mostrou ser um jogador decisivo e Fred que se movimentou muito mais que de costume.
   Tivemos paciência para rodar a bola até aparecerem os espaços. Claro que tivemos alguns problemas, principalmente quando Felipão, achando que o jogo estava decidido resolveu tirar Neymar, que havia recebido cartão amarelo e corria risco de expulsão. Marcelo continua muito bom no apoio, mas ruim na marcação: o primeiro gol italiano foi no seu setor. Dani Alves não é nem sombra do jogador do Barcelona e Oscar não realizou ainda uma grande partida nesta competição.
     O mais importante foi termos goleado a Itália, vice campeã europeia, um adversário dificílimo que nos dá moral, demonstra maturidade e evidenciou um padrão de jogo, coisa que não víamos com o técnico Mano Menezes

O tsunami que vai mudar o esporte 
 Paulo Calçade

        Depois dos protestos que tomaram conta de todo o Brasil, o perigo agora é a classe política que originou o basta da população se mudar definitivamente para o esporte.
     Com um mínimo de boa vontade não é difícil perceber que parte dos dirigentes esportivos brasileiros possuem esse DNA que as ruas querem ver longe do poder.
       Basta observar a dificuldade dos atletas olímpicos brasileiros. Raramente são ouvidos por seus cartolas. Basta abrir os olhos para toda a montagem da Copa do Mundo. Basta fazer as contas e ver o que tem acontecido com o dinheiro destinado aos Jogos Olímpicos.
     Democracia e transparência ainda serão a base do esporte. Mas é necessário ficarmos atentos. Se já está difícil com os que aí estão, imagina quando chegar o "reforço", quando chegarem aqueles que pretendem se refugiar no esporte!
      O esporte não pode ser um mundo paralelo, onde tudo é permitido.
      Chega! É hora de aproveitar a maré e dar um basta nas atividades dessa turma. 
     No caso específico do futebol, dirigentes de clubes que não se afinam com a maneira como o poder tem sido exercido por federações e pela CBF podem surpreender.
     É provável que as próximas semanas não sejam muito agradáveis para o poder estabelecido no esporte. Existe muita gente boa trabalhando com seriedade.
      O tsunami que vai mudar o esporte é você. Vamos fazer a nossa parte!

Fonte: Blog do Calçade, da ESPN.



POESIA DA SEMANA


Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa, sem nada

Vinícius de Moraes

OBSERVATÓRIO DA TV

Compositores Unidos

Jorge Vercillo

      Produzido pelo Canal Brasil em parceria com a B2 Produções, direção de Darcy Burger, gravado na casa do cantor, compositor e apresentador Jorge Vercillo, COMPOSITORES UNIDOS é uma série de oito encontros de grandes nomes da música brasileira, que trocam ideias e cantam, no estilo sarau, que está sendo exibido todos os sábados às 21:30 h, no canal 66 da Sky, com horários alternativos aos domingos, às 11:00 h, terça 18:15 h e quarta às 07:00 h.
     Vale a pena conferir !

DESTAQUE

A destruição das cidades históricas
O que resta de um velho casarão no centro histórico de Maragogipe

     Em duas viagens consecutivas pelas principais cidades do recôncavo baiano, fiquei impressionado com o abandono a que estão relegadas importantes conjuntos arquitetônicos daquela região, tão importante para a memória nacional.
     Velhos casarões centenários, grandes obras civis como as estações ferroviárias de São Félix e Cachoeira, abandonadas, enquanto as igrejas, que tem dono, a rica igreja Católica, consomem todo o dinheiro público.
A estação ferroviária abandonada em São Felix
     A falta de regulação do uso do solo em cidades históricas, permite que pequenas casas construam um segundo, terceiro e até quarto pavimento, sem o concurso de arquitetos, dando um aspecto favelizado à cidades como São Francisco do Conde, por exemplo, onde belíssimas construções erguidas sobre um morro em frente à baía, vão sendo encobertas pelo improviso, que vai destruindo a paisagem histórica. O mesmo em Santo Amaro da Purificação e Maragogipe.
     Candeias, então, nem se fala, virou um favelão.
Maragogipe: a arquitetura civil abandonada    
Em março estive em Congonhas do Campo, Minas Gerais, e já tinha ficado chocado com a confusão urbana que fez desaparecer a simpática cidade de outrora, sob as construções desordenadas. Em Ouro Preto esse processo de favelização também já avança pelas encostas de morros. Tudo por falta de um controle adequado do uso do solo e de planejamento da expansão urbana.
Enquanto os recursos públicos financiam restaurações caríssimas do patrimônio da igreja Católica (Cachoeira)

     As cidades históricas também precisam crescer e se desenvolver. Para isso a fórmula correta é abrir bairros novos, onde as construções contemporâneas possam ser erguidas sem comprometer o centro histórico, que precisa ser preservado.
A verticalização descontrolada  compromete a paisagem urbana dos centros históricos (Maragogipe)
     Mas nem uma coisa nem outra está sendo feita. Tombam-se alguns prédios isolados, com prioridade sempre para os templos católicos, que não assumem nem sequer sua própria manutenção, e deixa-se o núcleo histórico ao sabor da especulação imobiliária e do improviso, comprometendo irremediavelmente a paisagem urbana.
     Algo precisa ser feito, e com urgência, para salvar nossas cidades históricas.
     

CLIPE DA SEMANA

O clipe desta semana é da música É, composta por Gonzaguinha, na interpretação de Simone, postada aqui em homenagem a luta do povo brasileiro nas últimas semanas.




Clique no link abaixo e acesse:

RAPIDINHAS

Velhaco
   
    O prefeito ACM Neto, de Salvador, também conhecido como Grampinho, deu uma de velhaco decretando feriado na sexta-feira, véspera do jogo do Brasil, na esperança de que muita gente emendasse  com o São João, numa tentativa de esvaziar a cidade e desistisse de ir às manifestações.
     Isso não impediu que muita gente ficasse e que o pau quebrasse em frente ao shoping Iguatemi, justamente na saída do jogo do Brasil, atingindo inclusive os ônibus (gratuitos) que traziam os torcedores de volta aos estacionamentos.
     Mas enquanto a Prefeitura oferecia um excelente esquema de transporte para auxiliar a FIFA, Salvador foi uma das poucas capitais brasileiras que não reduziu o preço das passagens. Aliás, de um dos piores sistemas de transporte público do Brasil.
 A vigília por Mandela
     A África do Sul e o mundo se preparam para perder um dos maiores líderes dos direitos humanos de todos os tempos. Nelson Mandela, de 94 anos, está internado em estado crítico, enquanto a vigília pela sua recuperação aumenta.
     Para quem não sabe, esse líder africano passou mais de 30 anos preso por se recusar a aceitar o regime de segregação racial estabelecido pelos brancos na África do Sul, com apoio dos Estados Unidos e de Israel, e se tornou um dos grande símbolos da luta contra o racismo no mundo.
     Sua resistência derrotou o governo segregacionista e quando ele saiu da prisão foi o primeiro presidente negro eleito no país.
     Apesar de tudo que sofreu, Mandela sempre pregou a união nacional e a conciliação entre brancos e negros como forma de superar a política do apartheid.


HUMOR TRANSATLÂNTICO

 
 
Caros leitores, esta semana, na Piada Contada, resolvemos colocar um vídeo do humorista Leandro Hassum:

Leandro Hassum

Clique no link abaixo e acesse:

TRIBUNA ABERTA



         Este espaço é aberto para o leitor que deseja publicar alguma matéria interessante ou até mesmo dar sua opinião acerca de algum assunto publicado neste blog ou de interesse geral, desde que este não seja de conteúdo racista, pornográfico ou ofensivo. Os autores deste blog reservam o direito de decidir se o conteúdo enviado será publicado.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

POLITICANDO

Viva o povo brasileiro!
Manifestação em São Paulo
     Os protestos contra o aumento das tarifas começaram em Porto Alegre, depois se expandiram para Goiânia e São Paulo, tendo sido barbaramente reprimidos pelas polícias, principalmente de São Paulo e Goiânia, estados governados pela direita (PSDB).
     Mas que resposta a prefeitura de São Paulo (PT) deu aos manifestantes? Que não voltaria atrás no reajuste, porque nos últimos três anos eles ficaram abaixo da inflação, o que é mentira, pois o último reajuste foi em janeiro de 2011, e ainda não se passaram 3 anos, mas dois anos e meio.
     Só que no acumulado dos últimos dezenove anos (desde 1994),  o reajuste foi de 742%, para uma inflação de 332%. Se os reajustes acompanhassem o IPCA, a tarifa deveria passar hoje para R$2,16 e não R$3,20. Caso o transporte fosse de qualidade, até se poderia argumentar que o aumento foi necessário para realizar investimentos na sua melhoria, mas continua péssimo. Trens e ônibus lotados, ruins e caros.
     Me lembro de Fernando Haddad, quando eu estava no MEC e ele era o Secretário do Ministério, e fizemos uma reunião reclamando das condições de trabalho. Éramos um monte de profissionais, recém contratados num concurso público, sem as mínimas condições de trabalho, amontoados em salas minúsculas, sendo tratados como gado e a resposta que ele nos deu foi semelhante: que não admitiria reclamações e quem não estivesse satisfeito pedisse demissão.
     Aquela cara de bonzinho, de bonitinho, desapareceu rapidamente quando seu poder foi contestado.
     Mas o que parece é que o povo se cansou do discurso do PT também, que se aproximou muito do PSDB nos últimos anos, com suas privatizações (concessões) de serviços públicos, entregando os serviços essenciais à iniciativa privada.
     Rodovias, metrôs, aeroportos e agora também os portos, tudo vai sendo concedido aos interesses particulares (inclusive os estádios) em nome da aceleração do crescimento, enquanto o interesse público vai ficando para trás.
     O povo vê com indignação bilhões sendo aplicados na copa do mundo enquanto os serviços essenciais: saúde, transporte e educação, sempre lembrados na hora das campanhas eleitorais, são negligenciados. E mais do que isso, vê o país se curvar a exigências milionárias da FIFA, que afrontam nossas leis e nossa democracia, em nome dos negócios que envolvem o futebol.
     Mas a realização da Copa não é a causa das deficiências no transporte público, que estão aí há décadas. Suas verdadeiras causas estão no sistema eleitoral que permite ao "lobby" das empresas de ônibus financiar campanhas eleitorais em todo o país, impedindo a construção de metrôs e corredores de ônibus, que melhorem a situação. Mas paradoxalmente, este será um dos mais importantes legados da Copa para nossas cidades.
     Também aos grandes empresários da educação, não interessa uma educação pública de qualidade (melhor deixá-la nas mãos pobres e desinteressadas dos municípios), asim como não interessa aos planos de saúde e hospitais particulares, uma rede pública de qualidade, que atenda gratuitamente a população. O tão alardeado Sistema Único de Saúde, com seus milhares de Conselhos de Saúde espalhados pelo país, que só servem para legitimar essa política, virou uma piada de mau gosto.
     É isso que alimenta tanta revolta. É que por trás do discurso desenvolvimentista do PT e sua gigantesca base aliada, se formou uma máfia de financiamento de campanhas, amplamente comprovada no processo do mensalão, que compromete a qualidade de vida do cidadão em troca de apoio aos partidos que estão no poder. E isto inclui também os poucos partidos que ainda estão na oposição, PSDB, DEM e PPS, que são, na verdade os inventores desse esquema, de "É dando que se recebe", como dizia um político de triste memória, para justificar as transações escusas no Congresso Nacional.
     Parece que essa situação está chegando ao seu limite, com as pessoas exigindo transparência e uma democracia de verdade, onde a promiscuidade entre empresas e políticos não possa mais prejudicar a vida do cidadão, que quer retorno de seus impostos e compromisso de seus representantes.
     Os partidos que estão fora desse esquemão são muito poucos. Talvez o PSOL seja o mais sério, enquanto PSTU e outras pequenas legendas de base marxista, não tem propostas e só sabem fazer barulho. A tal Rede de Marina Silva se perdeu no conservadorismo da sua igreja evangélica, destruindo todo o capital que ela havia construído ao longo de uma vida de lutas.
     Mas as manifestações da semana passada, o que inclui a vaia em Dilma na abertura da Copa, tem matrizes diferentes. As principais são contra o abuso do poder econômico dos empresários (do transporte, principalmente) em conluio com os governos. Um movimento legítimo, que busca direitos e uma democracia efetiva
     Já os protestos contra a realização da Copa das Confederações, que já vinham se acirrando desde o triste episódio do museu do índio, no Rio de Janeiro me parecem que foram, no início, inspirados pela direita, que acha que o Brasil não deve ser um país importante (fazer um grande evento vai projetar uma imagem de poder do Brasil), e que deve continuar sendo um país de segundo plano, subserviente aos poderosos do mundo, e os manifestantes devem ficar atentos para não se deixar manipular pela direita oportunista e sua velha mania de esculhambar o Brasil, o povo brasileiro e tudo que a gente faz, pra justificar que é melhor entregar aos estrangeiros.
      Lembram-se da manifestação da burguesia paulista, intitulada "cansei"?
     De qualquer forma parece que caminhamos para uma renovação da política nacional, em função do desprezo com que a base aliada segue fazendo seus acordos espúrios sem ouvir a voz do povo brasileiro. É o caso das manifestações contra o presidente da Câmara dos Deputados, do presidente da CBF, do presidente da Comissão de Direitos Humanos, solenemente ignorados pelos políticos, que de forma arrogante e na cara de todos nós, seguem na direção oposta do que a sociedade deseja.
A sombra do povo no Congresso Nacional ameaça as maracutaias dos políticos

     Não creio que os partidos que estejam aí representem mais ninguém, tanto é que as bandeiras partidárias estão sendo expulsas das manifestações que se multiplicam pelo país. A verdade é que estamos cheios dessa arrogância, desses conchavos, dessa corrupção que permeia todo processo político. É realmente duro chegar num hospital e não ser atendido, enquanto vemos Joseph Blatter e seus asseclas, fazendo exigências caríssimas para a Copa.
     Não temos mesmo que tolerar isso. O povo brasileiro sabe ser paciente, mas sabe também se levantar através de campanhas memoráveis, quando chega a hora.
     Como dizia o cartaz de um manifestante paulista: verás que o filho teu não foge à luta!

PAPO DE ARQUIBANCADA

Tá melhorando...


         Meu amigos, quem assistiu a estreia do Brasil na Copa das Confederações contra o Japão, pode notar uma evolução no time canarinho. Nós temos hoje uma defesa sólida, um meio campo mais organizado e um ataque que ajuda na marcação: jeito Felipão de ser !
         Apesar de discordar do técnico da nossa seleção, pelo pouco tempo que dispôs até a competição oficial acredito que Luiz Felipe vem fazendo um bom trabalho. Entretanto, brasileiro que gosta de futebol quer ver um time mais solto e um pouco irresponsável na maneira de jogar. É preciso que os atletas diferenciados, habilidosos, façam suas jogadas de efeito. Vejo uma seleção burocrática demais, com medo de errar, pior, com medo de desobedecer ao professor. 
        Quero ver Neymar mostrar seu arsenal de dribles e jogadas fantásticas que fizeram dele o melhor jogador brasileiro da atualidade. Quero levantar da cadeira e ficar de boca aberta, incrédulo com a jogada improvável. Quero ver a rede balançar com maestria, como no primeiro gol de Neymar.
     Acredito nesta seleção e em sua evolução, mas clamo por um futebol mais vistoso, sem previsibilidade e com um pouco de arte. Pra cima deles Brasil !

É bom, mas não agrada.


         Mesmo com meio time titular do Barcelona em campo, parece que a Fúria carece de um Messi para dar mais velocidade ao seu esquema tático. A equipe troca passes o tempo todo, algumas vezes sem qualquer objetivo, chegando a cansar o espectador. Não podemos deixar de ressaltar a precisão dos passes, contudo, confesso que fiquei meio entediado e procurei o camisa dez, argentino do Barça, quando não achei, cochilei. A Espanha criou uma nova forma de jogar futebol muito bonita, mas, as vezes tediosa.


 José Roberto Malia


Só a paella pode estragar a feijoada e a caipirinha no banquete da Copa das Confederações.


         Nem o spagueti da mama, nem o burrito mexicano. Muito menos o chivito, sanduíche uruguaio servido no prato.
         Pela temperatura do forno e fogão da vovó Palmirinha, especialista em pratos do esporte bretão, somente a paella pode azedar a feijoada e estragar a nossa caipirinha.
        Das quatro equipes que entraram neste domingo nos milionários campos da Copa das Confederações, apenas a Espanha mostrou chuteiras dignas de levantar o caneco e dar a volta olímpica pela primeira vez no torneio.
         Atual campeã mundial, a Fúria simplesmente colocou a Celeste na roda, em Recife. Sem piedade. Lembrou uma tourada, com os uruguaios desempenhando o papel de touro - a posse de bola acusou 71% contra 29%.
            A vitória por 2 a 1 só não foi mais elástica porque os espanhóis puxaram o freio de mão depois dos gols de Pedro e Soldado. O Uruguai descontou com Luis Suárez nos minutos finais.
             Quando a bola começou a rolar, a torcida abraçou o time uruguaio e vaiou a troca de passes da Fúria. Aos poucos, porém, foi se rendendo à categoria dos espanhóis, passou a aplaudir e até a gritar olé!
            Mais cedo, no ex-Maracanã de R$ 1,2 bilhão, a Azzurra também bateu o México por 2 a 1, mas não apresentou um grande jogo.
            Os italianos saíram na frente, com uma cobrança de falta de Pirlo, à la Juninho Pernambucano - o craque admitiu que imita o ex-jogador do Vasco. Seis minutos depois, os mexicanos empataram com um pênalti cobrado por Chicharito. O triunfo italiano veio no segundo tempo, nos pés de Balotelli.
           A Azzurra ganhou os três pontos, mais em razão do taco sem sal dos mexicanos que do bom tempero do macarrão.

POESIA DA SEMANA





 
Define a sua cidade

 
De dois ff se compõe
esta cidade a meu ver:
um furtar, outro foder.

Recopilou-se o direito,
e quem o recopilou
com dous ff o explicou
por estar feito, e bem feito:
por bem digesto, e colheito
só com dous ff o expõe,
e assim quem os olhos põe
no trato, que aqui se encerra,
há de dizer que esta terra
de dous ff se compõe.

Se de dous ff composta
está a nossa Bahia,
errada a ortografia,
a grande dano está posta:
eu quero fazer aposta
e quero um tostão perder,
que isso a há de perverter,
se o furtar e o foder bem
não são os ff que tem
esta cidade ao meu ver.

Provo a conjetura já,
prontamente como um brinco:
Bahia tem letras cinco
que são B-A-H-I-A:
logo ninguém me dirá
que dous ff chega a ter,
pois nenhum contém sequer,
salvo se em boa verdade
são os ff da cidade
um furtar, outro foder.

Gregório de Matos

OBSERVATÓRIO DA TV

Encheção de linguiça


    Me dei ao trabalho de percorrer todos os canais da Sky, da minha assinatura, só pra ver o que acontece nos tais "mais de 100 canais" que eles anunciam.
     Tirando os canais abertos, das redes nacionais, Globo, Record, SBT, Band e Rede TV, os canais que são oferecidos aos assinantes são na sua maioria uma grande enganação.
     No meu plano contei 05 religiosos, 02 de vendas, 02 de agronegócios, 19 de esportes, sendo que 04 deles especializados, um em golfe outro em beisebol, outro em esportes radicais e outro em UFC (aquelas pancadarias). Quem assiste isso? Além desses, 05 de notícias, Globonews, Bandnews, BBC e CNN e o Bloomberg, que é especializado em economia, na ótica dos americanos, 05 que exibem aquelas séries de temporadas americanas, a maioria idiotas, 03 de sexo, onde mulheres com cara de puta ficam fazendo sexo oral nuns caras nojentos, 08 canais estatais (Sesc, TV Escola, TV Câmara, TV Senado, TV Cultura, TV Brasil, TV Justiça e NBR, a maioria chatíssimos. Salva-se a TV Câmara, que tem alguns bons programas de música e documentários históricos em meio a entrevistas igualmente chatas.
     Temos 07 infanto-juvenis, sendo 02 de desenhos (Gloob e Cartoon) e 04 de séries para adolescentes (Disney, Disney XD, DSC Kids e Nick) e o educativo Ratimbum, que costuma ser também meio chatinho por ser muito repetitivo.
     Depois tem uns para gente rica que são um porre. O Futura, que é o canal mais chato de todos os tempos, com aspirações de ser educativo, mas que só passa aqueles programinhas comprometidos com os interesses das empresas que patrocinam o canal, o GNT, que é para gente que se acha superior e um tal de Glitz, sobre moda, também para as dondocas do pedaço.
     Pra quem gosta de documentários, tem o Discovery Home & Health (saúde), que transforma as doenças num show de suspense, o Animal Planet, que adora mostrar os predadores caçando e devorando suas presas, pra provar que a natureza é baseada na competição e na vitória do mais forte (pra justificar o capitalismo?) e a Nat Geo, especializada em lugares estranhos do planeta.
     Depois vem os que alternam séries com filmes, como a Universal, Warner, Fox, AXN, Sony, FX, SyFy (especializada em ficção científica de terceira categoria) e as especializadas em cinema, os canais Telecine, o Canal Brasil, a MGM (que também passa aquela série ridícula The Bachelor onde um homem rico e bonitão que fica escolhendo noivas), os 06 canais HBO, 05 canais Max, o TCM, que passam velhos filmes e séries antigas americanas e o CINE BR, que só passa cinema brasileiro.
     Além desses temos algumas jóias da imbecilidade, como o TRUTV, que passa aquelas séries ridículas sobre caça-fantasmas e perseguições policiais em estradas norte-americanas e os canais de música que exibem clipes (MSW e VH1).
     Temos como destaques o canal Arte 1, da rede Bandeirantes, especializado em arte e o Viva, da Globo, que passa as velhas séries brasileiras, novelas e bons filmes.
     Bom, não vou me arriscar aqui a dizer o que é melhor, pois isto depende do ponto de vista de cada um, e pelos meus comentários já deixei claro os que acho piores. Mas observando o que vejo todos os dias, cheguei à conclusão que os canais de filme, principalmente os do Telecine, os canais de notícias Globo News e Band News, e alguns canais de esporte, com destaque para o  SPORTV e ESPN Br, com aqueles comentários ótimos do Juca Kfouri e seus colegas, além da Globo aberta e eventualmente o Arte 1, o Viva, a BBC e CNN, são os canais que assistimos.
     O resto é pura encheção de linguiça.


DESTAQUE

Novo 1968?
     As rebeliões que se sucedem pelo mundo, na Europa, na Turquia e no Brasil, parecem seguir a mesma lógica das de 1968, quando os estudantes decretaram o fim de uma era e o início de outra, passando por cima das ideologias que dividiam o mundo em socialista e capitalista e levantando novas bandeiras de paz, justiça e liberdade.
     Ali a guerra fria começou a acabar e as bandeiras da integração foram levantadas.
     Esse script volta à cena, num momento em que os dirigentes mundiais parecem ter se esquecido de que as economias foram feitas para servir à humanidade e não ao contrário.
     Mais uma vez a cultura dá um basta a economia dos tecnocratas e proclama a prioridade da vida. Mais uma vez barreiras vão sendo derrubadas em direção à construção de um novo mundo, mais democrático, mais transparente, sem grandes potências, exércitos e guerras, sem poluição, corrupção, violência, consumismo e crescimento a qualquer custo.
     Um novo mundo surge da fumaça das bombas pelo mundo, um mundo que a violência policial, a cegueira dos políticos e a ambição dos empresários não conseguirá impedir.


CLIPE DA SEMANA

            O clipe da semana é da música PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES (VEM, VAMOS EMBORA...), composta e interpretada por Geraldo Vandré.

 Geraldo Vandré


Clique np link abaixo e acesse:


RAPIDINHAS

Frisson
 
     Foi marcada para o dia 09 de julho a audiência de julgamento do atual prefeito de Rio de Contas.
     A cidade está tomada pela expectativa. Os atuais detentores do poder estão com as barbas de molho e os partidários do segundo colocado nas eleições estão se preparando para a comemoração. 
     Quem vivia perseguindo os opositores, agora está que é só sorrisos, pensando em alternativas futuras...
     Esperamos que haja o que houver, o futuro da cidade seja melhor do que a realidade atual, onde o paradeiro e a politicagem comprometem todo o potencial desta terra maravilhosa.
     Rio de Contas merece um futuro melhor.

Em exposição

        Na última sexta, estivemos na abertura da exposição de desenhos de Luise Cristina Viana, no Espaço Nordeste, em Rio de Contas para prestigiar o grande trabalho feito por esta menina de quinze anos que será a bola da vez em nossa Galeria Piguara, durante os meses de junho e julho. Vale a pena dá um pulinho no Espaço Nordeste e prestigiar essa jovem artista.

Viva São João


        A nossa indicação para passar o São João, desta semana, é a nossa queridíssima cidade de Rio de Contas. Distante, aproximadamente, 600 quilômetros de Salvador, Rio de Contas é chamada de joia da Chapada, devido ao seu acervo arquitetônico lindíssimo e suas belezas naturais de tirar o fôlego. Clima frio, muita fogueira e povo gentil, a joia tem um São João tradicional em sua sede, dividindo as atrações com o distrito de Marcolino Moura conforme programação enviada para o nosso blog e publicada no facebook. Segue programação dos festejos juninos em Rio de Contas:
 
 15/06 – Arraiá do Tõe, em frente ao Ponto de Encontro, com o grupo Aconchego Musical e Panela de Barro em Rio de Contas às 21:00 h;
 18/06-  Confraternização Junina  com os usuários dos Programas Sociais, no Quintal, às 19:00 h
 20/06 – Arraiá do CECS, no Colégio Estadual Carlos Souto, a partir das 19:00 h, com o melhor sanfoneiro da região: Nanim e seu trio;
 21/06 – Festa de Camisa em Marcolino Moura;
 22/06-  Abertura oficial do São João, no Espaço Nordeste na Praça de Rio de Contas, Show Artistico, Forró pé de Serra e Festa na Praça de Marcolino Moura, com apresentação de Quadrilhas Juninas;
 23/06-  Queima de Fogueiras e fogos em Rio de Contas e Marcolino Moura com Arrastão Junino às 20:00 h, Apresentação da Quadrilha do Projovem na Praça da Matriz ( Em frente ao Fórum), às 21:00h em Rio de Contas e Shows artísticos na Praça em Marcolino Moura e Rio de Contas;
26/06 – Forró dos Grupos de Idosos (Sempre Viva, Bem Querer) e do Hipermais (Saúde) , no Club Riocontense.

*A programação das atrações constantes nos cartazes de Rio de Contas e Marcolino Moura não foi divulgada.